Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Universal Century - Tecnologias

História da Vida Real

Essas tecnologias aparecerem  em Gundam Century, escrita por fãs da época, e que mais tarde foi aprovada pela Sunrise e Bandai, sendo que alguns autores de Gundam Century se tornaram editores e escritores oficiais das mecânicas dos Gundam. Mais tarde, por causa da tendência do interesse militar e tecnológico na comunidade,  Gundam Sentinel Special Edition incluiu uma seção chamada imidam 0093 (Innovative Mobile Suit Information Dictionary, Annual Series (Dicionário de Informações Inovadoras, Série Anual), intencionalmente utilizando um "m" no final para se referir a Gundam), com subtitulada Basic Knowledge of Gundam Mechanics (Conhecimento básico de mecânica Gundam). Escrita pelo designer mecânico Hajime Katoki, listou as tecnologias da Universal Century, pesquisando em Gundam Century, Gun Sight, VF-1 Valkyrie, MS Graphical Guide 1~3, MSV Technical & History 1~3. Os oficiais de Gundam foram coletados dessas informações e foram apresentados individualmente com um enredo e lista de personagens em formato de enciclopédia, e a MS Encyclopedia 2003 traz uma pequena listagem dessas tecnologias em suas primeiras seções antes de adentrar as listas de mobile weapons das diferentes séries, que apenas as edições anteriores tiveram.

Impacto na Vida Real

Podemos afirmar que a maioria das tecnologias fictícias causam impacto na vida real, essas tecnologias se referem em sua maioria à Universal Century. Elas se tornar uma referência normal para uma série e atrai editoras para publicarem livros sobre o assunto. Essas configurações tecnológicas tem impactado diversos animes e mangás que possuem seus próprios pretextos tecnológicos em certo grau. Apesar de isso poder ser visto como alguma tendência de Star Wars, nada de similar começou antes da publicação Gundam Century de 1981. A Bandai (que é uma ramificação da Sunrise) percebeu a tradição e contratou os escritores para escrever artigos para outras séries Gundam também. Na linha do tempo da Cosmic Era, um dos autores dos artigos da Gundam Century (na época um estudante do ensino médio), Shigeru Morita, que se tornou um empregado regular da Bandai, foi assinalado para escrever esse tipo de artigo, possivelmente um método utilizado pela companhia para atrair fãs de tecnologia da Universal Century para assistir a nova série.

Tecnologia Geral

Gravidade Artificial

Mesmo na  Universal Century, parecia impossível gerar e anular artificialmente a garvidade. No entanto, num envólucro sem peso do espaço, a força centrífuga produzida pelo cilidnro rotativo pode ser utilizado de maneira similar à gravidade da Terra. Esse é o princípio utilizado nas colônias espaciais, um pequeno dispositivo centrífugo são as vezes instalados em espaçonaves, como o cargueiro de assalto White Base.

Da mesma forma, o sistema de trabalho de gerador de elevação Minovsky, cujos veículos como a White Base utilizam para sobrevoar a atmosfera terrestre, não é um verdadeiro sistema anti gravidade. Ao invés, utiliza uma rede cúbica de partículas para puxar as embarcações para longe da superfície terrestre.

Comunicações

No mundo da Universal Century, comunicação entre naves, mobile suits, e afins são bastante complicadas pelo amplo uso das partículas Minovsky. Quando essas partículas são espalhadas em altas densidades, elas permitem que a comunicação via rádio seja possível. Sob essas condições, a melhor alternativa para transmitir dados é através de pulsos lasers de baixa intensidade. Apesar desses sinais lasers serem limitados a curto alcance, esse é o meio principal de comunicação no campo de batalha, e essas mensagens são bem difíceis para os inimigos interceptarem. Quando em contato físico direto, é também possível se comunicar via link de contato.

Carro Elétrico

No envólucro fechado de uma colônia espacial ou cidade lunar, a poluição atmosférica precisa ser mantida no mínimo, então os carros elétricos (normalmente abreviados como "elecar") são usados para transporte pessoal. Os limites de velocidade são restritos e ainda mais reforçados quando dentro das colônias espaciais, então para longas viagens, é mais conveniente viajar com o sistema linear de carros da colônia.

Sistema de propulsão a Laser

Esse sistema utiliza uma fonte de poder externo - nomeadamente, um laser poderoso- o calor propulsionado pela espaçonave. Mais eficiente que a engenharia de um foguete nuclear termonuclear usado por naves de batalhas, esse mecanismo permite que as naves minimizem o consumo quando lançadas fora da órita lunar. As principais cidades lunares, como Von Braun são equipadas como estações de ignição para impulsionar naves de transporte ao espaço. O cargueiro de assalto Albion é uma das poucas embarcações militares designadas a utilizá-lo.

Carro Linear

Esses trens viajantes nos trilhos percorrendo o lado de fora da colônia espacial, correndo de estação em estação bem parecido com os trens subterrâneos das cidades terrestres. Devido às restrições de velocidade forçado as colônias, longas viagens são normalmente feitas usando esses carros.

Mass Driver

Uma catapulta eletromagnética instalada na superfície do planeta, lua, ou outro corpo celeste, que é utilizado para acelerar a velocidade de escape. Em um pequeno corpo celeste como a Lua, com baixa gravidade e sem atmosfera, os objetos podem ser lançados sozinhos, mas objetos lançados da Terra requerem um foguete propulsor para completar a subida.

Ao chegar ao seu destino, a carga útil do mass driver pode ser coletadapor uma gigante rede conhecida como O sistema é usado para enviar recursos minerados da superfície lunar aos pontos Lagrange, onde podem ser utilizados para construção de colônias espaciais.

Suit Normal

Um suit espacial tradicional utilizado para atividades extra veiculares, então é nomeado de maneira diferente dos mobile suits. O suit normal inclui equipamentos de sobrevivência e comunicações, e pode ser acoplado em um vernier que manobra para gravidade zero. Há uma grande diferença nas variedades, incluindo uma versão leve desenhada para pilotos, chamada pilot suit.

Pilot Suit

Um tipo de suit normal leve desenhado para pilotos de combate. Essa forma de encaixe dos suit espaciais garantem o mínimo de impedimento aos movimentos do piloto. Apenas um punhado de pilotos imprudentes, como Char Aznable, Paptimus Scirocco e Haman Karn, estão dispostos a não usar a pilot suit para evitar sua menor inconveniência.

Sarélite de Poder Solar

Na era Universal Century, a maior parte do suprimento de eletricidade da Terra vem de estações de poder solar na órbita dos satélites em torno do planeta. Esses satélites convertem com eficiência a luz solar em energia elétrica, então transmitem para as estações da Terra em forma de micro-ondas.

Bote espacial

Em caso de emergência, os habitantes da colônia espacial podem escapar usando uma pequena espaçonave guardada fora as paredes da colônia. Esses botes espaciais podem transportar mais de uma dúzia de passageiros por vez, e ainda dois pilotos e uma equipe de manipuladores manuais.

Colônia Espacial


    Artigo principal: Colônias Espaciais (UC) (em construção)

No amanhecer da Universal Century, um programa de colonização espacial é lançado para resolver os problemas da Terra com energia, meio ambiente e população. Grandes estações espaciais foram construídas ao redor da órbita da Terra para abrigar os emigrantes, e em U.C. 0050, essas colônias espaciais eram a casa de 80% da raça humana. Cada colônia suporta milhões de pessoas, e são agrupados em clusters chamados Sides, cada um mapeado com 35 e 40 colônias e abrigando bilhões ou mais.

Propulsor Termonuclear

Um sistema super eficiente de propulsão usado para mover asteroides, colônias espaciais, e grandes embarcações como o Cargueiros de Hélio Inter Planetário.  Nesse mecanismo, pastilhas de combustível produzida de deutério e hélio-3 são bombardeadas por poderes lasers ou canhão de partículas, criando uma série de pequenas explosões. Os íons de prótons e hélio produzidos por essas reações de fusão podem ser direcionados a um campo magnético para gerar propulsão. Esse mecanismo possui o melhor combustível em eficiência do que um foguete termonuclear ou um foguete químico, mas devido a sua propulsão relativamente baixa, é melhor para transportar objetos grandes e de baixa movimentação como o asteroide Axis.

Wire-Gun

Um dispositivo manual que ajuda os humanos nos ambientes de gravidade zero como hangares de espaçonaves e docas das colônias espaciais. Os wire-gun lançam um poderoso magnetismo anexado a um cabo, cujas ancora o usuário ao invés de puxá-los de volta ao seu destino. O dispositivo também pode ser utilizado para estabelecer um link de contato por comunicação de voz.

Tecnologia Mobile Suit - Geral

Contact Link

O contact link é uma alternativa para comunicações de voz de curto alcance. Quando os mobile suits entram em contato físico direto um com outro, ou com outro veículo, o som pode ser transmitido via vibrações em sua armadura exterior. Um mobile suit pode alcançar com o manipulador para estabilizar o link, e essas vibração também podem retransmitir através de links, incluindo armas com fio usada pelos trabalhadores humanos. Diferente das comunicações de rádio, conversações transmitidas dessa maneira são quase impossíveis de interceptar.

Dummy

Um dispositivo de depressão que tira vantagem das interferências das partículas Minovsky. Graças a essa interferência, a guerra em Universal Century depende muito dos sensores visuais, que podem ser enganadas por iscas infláveis. Esses balões infláveis são designado para imitar mobile suits, asteroides, e até naves de batalha. Variações mais sofisticadas são equipadas com pequenos manobradores verniers, permitindo que se movessem de maneira mais realista e registrando nos sensores infra-vermelhos.

Generator

Um dispositivo que converte energia do reator termonuclear de um mobile suit em energia elétrica. A eletricidade pode ser obtida diretamente do núcleo do reator core via  magnetismo eletrodinâmico e o calor emitido pelo reator também pode ser convertido em energia elétrica usando turbinas. Dessa maneira, o reator fornece ao mobile suit um suprimento abundante de eletricidade.

Hardpoint

Um ponto de anexo para armas, escudos, reposição de munição ou equipamento específico opcional para missões. Hardpoints também podem ser utilizados para armazenar armas quando um mobile suit precisa estar livre, ou quando é um modelo transformável em sua forma mobile armor.

Manipulator

O termo técnico para o braço e mãos do mobile suit. O mobile suit foi originalmente concebido para ser um poderoso suit espacial que estendesse as capacidades do operador humano, e o termo "manipulator" é inerente ao braço artificial utilizado em poderosos suits. Esses dispositivos dão ao mobile suit versatilidade inigualável, e seus sensores de toque embutidos fornecem feedback imediato para uma operação precisa. Em caso de algumas armas e escudos, também é integrado aos manipulators, mas seu funcionamento primário é carregar equipamentos e manipular objetos.

Sealant Launcher

Esse dispositivo lança um spray pegajoso (também conhecido como "passarinho"), similar ao filme de parede usado para preencher rachaduras nos cascos dos navios de guerra. A substância pode ser utilizada para selas rupturas nas espaçonaves e no exterior das colônias espaciais. Durante o período do Conflito de Gryps, a maioria dos mobile suits possuíam lançadores de selantes nos dedos de seus manipulators, e também dispositivos úteis como sinalizadores, dispenses de dummy e extintores de incêndio.

Tecnologia Mobile Suit - Manobras

AMBAC


Active Mass Balance Auto-Control (AMBAC (Auto Controle Ativo de Balanço em Massa) é uma tecnologia fundamental que permite a manobra dos que não possuem propulsores para manobra em ambiente com gravidade Zero de espaço para mobile suits que significa um controle preciso de seus membros no universo Gundam, como assinalado em Century e em publicações Oficiais Gundam. A tecnologia AMBAC em conjunção com o reator de fusão fictício, foram desenvolvidos pelo personagem Dr. Y.T. Minovsky deixando os mobile suits possíveis.

A AMBAC trabalha levando em consideração a terceira lei do movimento de Isaac Newton; quando há uma ação, há uma reação oposta de igual intensidade; com os cuidados da inércia que afetam a direção. Por exemplo, se colocar uma pessoa num lugar de micro gravidade, onde a fricção é insignificante (ex.: espaço), e pedir para que coloque seu braço esquerdo em seu peito e então balançá-lo para o ladocontrário, a inércia resultante do movimento do braço irá resultar no resto de seu corpo indo na outra direção por causa do momento de conservação angular. Então quando o movimento do braço para, a rotação do corpo também deveria parar. O sistema AMBAC cordena movimentos e micro-movimentos com precisão, permitindo um contínuo balanço e estabilidade sem grandes reações de expansão. Na maior parte, AMBAC é invisível a olho nu, pois as mudanças são ligeiras. No entanto, o sistema pode ser utilizado para desviar projéteis ou pequenos objetos desde que as mãos e pernas do mobile suit contem com uma porção significante de sua massa total. AMBAC é limitado por sua natureza e reorienta a unidade ao centro da massa, e não é uma substituta da propulsão. É geralmente utilizada em conjunto com o sistema de propulsão para rapidamente virar a unidade e diminuir a velocidade e também direcionar os propulsores principais. O sistema é similar ao princípio do sistema de roda momentânea usado nos satélites dos dias atuais, apesar de obviamente mais complexos. Os mobile suits que utilizam os movimentos AMBAC se movem similar aos astronautas atuais com atividade extra-veicular: ambos tipicamente com estrutura corpórea similar, eles usam sua massa para controlar sua rotação que presumidamente é similar, mesmo se calculado em diferentes maneiras.

Ligamentos de Asas e Estabilizador  de Cauda

Os Ligamentos de Asas e o Estabilizador de Cauda são instrumentos tecnológicos que providenciam controle extra para os sistemas AMBAC. A ideia é simples: "Se quatro membros podem  manobrar a unidade melhor que um, por que não equipá-los com 5 ou mais?" O conceito dos ligamentos de asas foi primeiramente utilizado no MSN-00100 Hyaku Shiki como parte de sua transformação enquanto estava na forma de mobile armor. Quando o sistema de transformação falha, o mobile suit é reformulado para uma forma não transformável e os ligamentos de asas são mantidos, pois servem como membros adicionais AMBAC. Como resultado, a performance da unidade é melhor contra os mais convencionais mobile suits e demonstra superioridade de manobra. A Anaheim Electronics também instalou asas nas costas da maioria dos mobile suits da série por conta do Projeto Zeta, mais notadamente o MSZ-006 Zeta Gundam.

Um primo dos ligamentos de asas é o estabilizador de cauda, um alongamento acoplado que é montado nas costas dos mobile suit e pode servir para aumentar as capacidades AMBAC da unidade. Algumas variações do estabilizador de cauda são equipados com um propulsor vernier embutido e podem melhorar as manobras do mobile suit. Apesar de ser montado em um mobile suit transformável, também é utilizado em modelos não transformáveis, como o PMX-003 The O. O estabilizador de cauda continuou a ser utilizado no desenvolvimento de MS após U.C.0087, como o RGZ-91 Re-GZ, por exemplo.

Balanceador

Uma peça inicial na tecnologia de um mobile suit, o balanceador, algumas vezes chamado de controle de balanceamento, outras de auto-balanceador dependendo do autor, é um dispositivo responsável por manter o mobile suit de pé. Esse dispositivo automaticamente ajusta o terreno em que o mobile suit caminha. É o que permite que a máquina caminhe como um humano. Os balanceadores são colocados em torno de todo o corpo do mobile suit, sendo o sistema primário alocado em seus membros.

Motor de Apogeu/ Propulsores Vernier

Além da engenharia dos foguetes principais, os mobile suits e outra espaçonave são também equipadas com propulsores vernier, derivados de "motores de chute apogeu" usados para posicionar satélites artificiais em órbitas geocincrônicas ao redor da Terra. Esses dispositivos, distribuídos ao redor da superfície da máquina, são usados para mudar direção e performar bons movimentos - ou controlar atitude, em uma linguagem chula. Enquanto que antigamente os mobile suits usavam motores de combustíveis sólidos para manobra, os modelos mais novos utilizam foguetes de combustível líquido para uma melhor performance.

Shelf Nozzle

Com o desenvolvimento de uma nova geração de mobile suits altamente compactos depois de U.C. 0100, os designers começaram a considerar sistemas de deslocamento como geradores e propulsores fora do mobile suit. Os bocais instalados nos mobile suit de comando da Crossbone Vanguard como o XM-04 Berga Dalas e XM-05 Berga Giros são exemplos desse conceito de dispositivo externo. Esses shelf nozzle são propulsores acoplados nas costas do mobile suit, essa flexibilidade também são usados como manobras AMBAC.

Fin nozzle

Instalado no XM-07 Vigna Ghina, esses dispositivos são versões melhoradas do shelf nozzle utilizado por outro mobile suit de comando da Crossbone Vanguard. Os fin nozzles, que projetam lateralmente das costas do Vigna Ghina, são conectados diretamente ao gerador do mobile suit para uma melhor eficiência de transmissão de energia.

Flying Armor

Um acessório opcional do RX-178 Gundam Mk-II, que subsequentemente desenvolvido nas costas do MSZ-006 Zeta Gundam. As funções da flying armor como um cavaleiro de onda, permitindo que o Gundam Mk-II entrasse na atmosfera terrestre pela órbita, e também servisse de aerodeslizante uma vez que alcançasse o chão.

Reservatório Propelente

Propelente é a reação em massa usado em foguetes de mobile suits e outras espaçonaves. Quando o propelente é descarregado pelos bicos dos foguetes, cria uma força na direção oposta, gerando propulsão. O amontoado de propulsão depende da velocidade de exaustão e do alcance que a massa propelente é consumida, e ainda o fato anterior está sujeiro a restrições tecnológicas rigorosas, os mobile suits devem carregar uma grande quantidade de propelente para sustentar em batalhas extensas. Devido a limitações do espaço interno, alguns mobile suits carregam propelentes adicionais em um tanque propelente externo.

Um tanque externo é usado para estocar o propelente. Esse propelente extra estende o alcance de operação do mobile suit, e permite ficar no combate por mais tempo. Quando o propelente é consumido, o tanque pode ser descartado para diminuir o peso do mobile suit. Esses tanques são usam uma construção de duas camadas, uma contendo o propelente e outra carregando gás extra.

Wave rider

Um dispositivo que gera uma elevação pelas ondas de choque que são produzidas durante a entrada na atmosfera. Enquanto um avião normal obtém uma elevação da diferença da velocidade de fluxo de ar entre a parte superior e inferior de suas asas, um wave rider voando em velocidade supersônica concentra as ondas de choque em superfície baixa, essencialmente montando nessas ondas de choque. O princípio é utilizado no flying armor empregado no RX-178 Gundam Mk-II, e na transformação do MSZ-006 Zeta Gundam.

Revestimento de ímã

O Revestimento de imã é um processo especial desenvolvido pela Federação Terrestre em U.C. 0079 para seus Mobile Suits. O necessário para esse processo veio quando os maiores perceberam que apesar do RX-78-2 Gundam ter uma incrível performance continuada, havia um fator principal para isso - seu piloto, Amuro Ray, cujas habilidades como Newtype esmagavam a unidade. Para fixar isso, o processo de Revestimento de imã foi criado.

O processo conta com as juntas da unidades coberto com material especial que, quando energizado, repele as juntas para o ponto onde em fricção zero. Por fazer isso, a reação de tempo de um Mobile Suit aumenta por volta de 20-30%. O processo foi primeiramente testado no RX-78-3 "G-3" Gundam, e então aplicado no original RX-78-2 Gundam, mais tarde foi adicionado a todos os Mobile Suits fabricados. Zeon tentou utilizar no MS-11 Action Zaku, mas o suit não foi usado até o Conflito de Gryps.

Sturm Booster

Um booster destacável que pode ser instalado tanto em mobile suits quanto em mobile armors. Esses dispositivos carream tanques de propelentes e propulsores de foguete, permitindo que o mobile armor acelere rapidamente no campo de batalha. Uma vez que o propelente acaba, o propulsor sturm é destacado e descartado como peso morto.

Sub Flight System (SFS)

Durante a One Year War, o Principado de Zeon adaptou a bomba Dodai YS em uma plataforma voadora para transportar mobile suits pela atmosfera terrestre. Mas o Dodai também retém todas as funções de uma aeronave convencional, como a navegação e o controle de inêndio, e requer seu próprio piloto. Isso faz da Dodai altamente versátil, porém muito cara.

Após a guerra, as Forças Federaticas refinaram esse conceito em dispositivo de suporte dedicado para mobile suit, substancialmente reduzindo seu custo. Esse Sub Flight Systems, ou trenó, vem em versão atmosférica e espacial. Durante o Conflito de Gryps, foram feitos vários modelos não tripulados, controlado pelo próprio mobile suit, mas as versões posteriores foram equipadas com cockpits então podiam ser usados também como nave de transporte. Durante o Conflito de Gryps e a Rebelião de Neo Zeon em U.C. 0093, esses "trenós" foram utilizados em toda facção antagônica, incluindo as Forças Federativas, os Titans, a AEUG e a Neo Zeon.

Tecnologia Mobile Suit - Cockpit

Arm Raker

Um novo tipo de alavanca de controle dos mobile suits da era U.C. 0090. Quando o piloto alcança o controle esférico, pode usar seus dedos para operar o controle disjuntor individual, enquanto move a esfera sozinho para manobrar o mobile suit. Se fala que esse tipo de alavanca de controle era muito mais simplista e foi usada para substituir os disjuntores usados pelos antigos Mobile Suits

Ejection Pod

A maioria dos primeiros mobile suits utilizados durante a One Year War possui mecanismos de escape de emergência. O sistema de bloco central utilizado pela série RX da Federação, no entanto, era cara demais para produção em massa. Depois da guerra, quando o assento flutuante linear e o equipamento de visão panorânima 360º se tornou equipamento de entrada, o problema foi resolvido transformando todo o cockpit em um casulo de escape que pode ser ejetado em emergências.

O casulo de ejeção se provou efetivo e não caro, e logo se tornou um dispositivo de entrada. No entanto, já que o dispositivo não é capacitado a sobreviver à explosão do reator principal do mobile suit, pesquisas continuam sobre o bloco central e outros mecanismos de escape.

Assento Flutuante Linear

Durante a One Year War, foi rapidamente noticiado que os cintos iniciais não protegiam os pilotos durante as batalhas. Para diminuir o choque dos impactos, o Assento Linear foi desenvolvido. Um novo tipo de assento para piloto que se tornou o principal após a One Year War. Nesse arranjo, o assento é suspenso no centro do cockpit, suportado por um braço linear que os contadores eletromagnéticos suportam G-forces e impactos de choque para a proteção do piloto. Quando utilizado em conjunção à tela panorâmica 360º, o assento flutuante linear também dá ao piloto um grande campo de visão, eliminando pontos cegos. Devido à superior performance desse sistema, mesmo os antigos modelos de mobile suit são remodelados com assentos flutuantes lineares e telas panorâmicas.

Sistema Mono Olho

Um dos primeiros tipos de câmeras ópticas dos MS. São sensores principais distintos utilizados por mobile suits do Principado de Zeon, que lembram o olho de um gigante Ciclope. Além da câmera óptica, esse dispositivo composto também incorpora sensores infra-vermelhos e lasers para uma maior precisão no alvo. O mono olho é montado nos trilhos, e pode deslizar para frente e para trás para cobrir um grande campo de visão. O visual data provido pelo mono olho é suplementado por dez ou mais câmeras secundárias, que são distribuídas pelo exterior do mobile suit. É considerada marca registrado do famoso MS-06 Zaku II de Zeon.

Sensores Infra Vermelhos

Graças aos efeitos da interferência da partícula Minovsky, os sensores de radar são virtualmente inúteis no campo de batalha da Universal Century, e as câmeras óticas são feitas primeiramente para detectar e mirar nos cargueiros inimigos. Eles são completados pelos sensores infra vermelhos e lasers para uma precisão de alvo. Os sensores infra vermelhos podem ser utilizados para detectar o inimigo a longa distância. Apesar da interferência da partícula Minovsky ter algum efeito nos comprimentos de onda infravermelhos, cargueiros de guerra e mobile armors continuam sendo registrados como fonte de calor. Na Terram outras opções de detecção de inimigos inclue os detectores de anomalia magnéticos e sonares - os dispositivos posteriores, usados na era moderna para localização de submarinos, sente as distorções magnétcias causadas por objetos metálicos.

Sensor Híbrido Dual

Um tipo de sensor único, utilizado na cabeça dos mobile suits da Crossbone Vanguard mobile suits, que consiste num par de composto de sensores instalados atrás de duas lentes globulares. Esse arranjo é altamente efetivo por julgar distâncias e posições tridimênsionais no espaço, e essa performance é várias vezes melhor que o mono olho utilizado pelo Principado de Zeon em seus mobile suits.

Visão Panorâmica

Um novo tipo de display de cockpit, tipicamente utilizado em conjunção ao assento flutuante linear. Os múltiplos painéis da tela panorâmica fazem um display de 360º, que cobre toda a superfície esférica do cockpit. A imagem mostrada nessa tela é uma simulação de computador construída por câmeras distribuídas pelo exterior do mobile suit. O ponto de visão da cabeça do mobile suit e sua imagem é cuidadosamente editada e removida pelo próprio mobile suit. Esse sistema introduzido durante a One Year War e experimentalmente colocado no RX-78NT-1 Gundam "Alex", mas não entrou na produção em massa até U.C. 0085.

Balão de choque

Um dispositivo de absorção de choque que vem com um equipamento inicial dos cokpits dos mobile suit durante U.C. 0090. Numerosas absorções de choque são absorvidas e instalados pelo corpo do mobile suit, e o assento flutuante linear onde o piloto senta é montado com o absorvedor de choque eletromagnético. O balão de choque, uma almofada inflável similiar aos airbags dos automóveis modernos, fornecem proteção adicional se precisar de uma desaceleração violenta. O balão emerge do painel de console do cockpit no momento do impacto, então esvazia em seguida..

Tecnologia Mobile Suit - Construção e Revestimento

Movable Frame

De acordo com Gundam Officials e Mobile Suit Zeta Gundam, o movable frame design é um novo conceito de construção de mobile suit introduzido após a One Year War como resultado ao crescente uso de armas de raios. Antes da invenção conceito pelo engenheiro Franklin Bidan dos Titans, todos as estruturas dos mobile suits eram baseadas em um frame interno rudimentar, fechado com uma camada externa de armadura resistente (chamada de design monocasco). Por conta do tiro preciso das armas de raios perfurar a armadura de mobile suit independente de quão espessa é, os designers começaram a reduzir a quantidade de armadura na montagem dos mobile suits. Esse novo conceito, ao invés de colocar a armadura no topo do mecanismo interno do mobile suit, enxerta diretamente ao frame, dando assim ao mobile suit o alcance de movimentos mais parecidos com os humanos, ao mesmo tempo que reduz o peso total. Isso incorpora todo o mecanismo vital dos mobile suit, aumentando a resposta, confiabilidade, e eficiência se energia além de deixá-lo muito mais ágil. O primeiro suit a usar esse sistema foi o RX-178 Gundam Mk-II e depois a tecnologia se tornou mais comum e, enventualmente, os de entrada. Depois de "Char's Counterattack", a tecnologia é racionada e minimizada, resultando em mobile suits menores, porém mais poderosos que os modelos anteriores. Isso, não coincidentemente, na vida real fez os novos model kits se tornarem mais baratos por produzi-los em mesma escala.

Liga de Titânio

A liga de titânio são materiais metálicos que contém uma mistura de titânio e outros elementos químicos. Essa liga possui uma grande força de tensão e dureza (mesmo em temperaturas extremas), peso leve, extraordinária resistência à corrosão, e habilidade de suportar temperaturas extremas. no entanto, o alto custo dos materiais e o processo limitado para uso em aplicações militares, avião, espaçonave, dispositivos médios, bielas e carros esportivos casos e alguns equipamentos de esportes premium e eletrônicos de consumo. Na Universal Century, a Liga de Titãnio é utilizada como material para dos mobile suits de produção em massa.

Neo Liga de Titânio

A primeira variação da Liga de Titânio, essa versão é mais forte e luminosa que a liga de titânio.

Liga de Titânio Luna / Liga de Gundarium

Uma liga super tensa desenvolvida pelos pesquisadores das Forças Federativas na base asteroide Luna II. Originalmente com a intenção de ser utilizada dentro dos reatores termo nucleares, essa liga apresenta super força, durabilidade, resistência ao calor e propriedades que absorvem a radiação e o faz ideal para a armadura de um mobile suit. No entanto, a dificuldade e o custo de produção dessa liga impede que seja utilizada em mobile suits de produção em massa, como o RGM-79 GM. Após a One Year War, o material foi renomeado como Gundarium em honra ao famoso mobile suit.

Gundarium Gamma

Após a One Year War, o material foi então refinado e renegado pelos soldados do Principado de Zeon na base asteroide Axis. Os pesquisadores da Axis desenvolveram e melhoraram para uma versão peso leve e chamaram de Gundarium Gamma, que foi introduzida no RMS-099 Rick Dias e amplamente utilizada durante o Conflito de Gryps. No entanto, a dificuldade de processar o titânio e o alto preço dos metais raros utilizados, fizeram com que o Gundarium fosse inviável para a produção em massa de mobile suits.

Revestimento semi transparente


Como descrito em Gundam Officials e no apêndice da novel de Mobile Suit Gundam, o revestimento semi transparente (半透体コーティング) foi originalmente utilizado como laser médio, espelhado e parcialmente espelhado das armas a laser na Universal Century. Era utilizado no início da One Year War como uma armadura efetiva contra armas a laser. No entanto, devido ao uso massivo de mega partículas e armas de raio, surgiu a necessidade de desenvolver um sistema anti arma de raios, essa tecnologia não é mais necessária nos mobile weapons. Essa tecnologia serviu de base para o revestimento resistente a arma de raios e revestimento anti raios, apesar do único fator comum ser o de ter múltiplas camadas. O revestimento semi transparente protege a unidade com múltiplas camadas todas refletindo um certo comprimento de onda de luz, e assim reduzindo efetivamente a energia de diferentes armas a laser. Essa tecnologia também foi utilizada na colônia laser Solar Ray, desenvolvida pelas Forças de Zeon antes da Batalha de A Baoa Qu.

Revestimento resistente a armas de raios


De acordo com o Gundam Officials, na metade final da One Year War, os mobile suits de Zeon sofreram muitos danos das Forças Federativas por causa de seus mobile suits equipados com armas de raios. O revestimento semi transparente não era mais útil pois só protegia de lasers, então uma nova tecnologia foi desenvolvida. Uma tecnologia similar ao já conhecido revestimento anti lasers, chamada revestimento resistente a raios (耐ビームコーテイング) foi desenvolvida e se tornou a principal depois de aplicada no MS-07B-3 Gouf Custom. Esse revestimento consegue absorver alguma energia das mega partículas e então reduzir seu impacto. Também consegue proteger a unidade de ataques a lasers, assim como no princípio. No entanto, não é efetiva como a feita depois, o revestimento anti raios, e a armadura continuava a ser danificada por esse tipo de arma quem atingida a curta distância ou quando possui um poder muito elevado. Esse revestimento é normalmente aplicado nos escudos dos mobile suit.

Revestimento Anti-Beam


De acordo com o Gundam Officials e Mobile Suit Zeta Gundam, o revestimento anti-raios (anti-beam coating (ABC)) apareceu primeiro sendo testado no MSN-00100 Hyaku Shiki. A tecnologia do revestimento possui múltiplas camadas de material de capacidade de calor específica no topo da armadura e que evapora em alta temperatura. Isso providência um tipo de proteção de sacríficio contra qualquer tipo de arma de raios. No entanto, devido à sua natureza de ablação quando defendendo em grande calor, o ABC apenas tolera poucos golpes no mesmo ponto.

Manto de revestimento anti-raios


Como descrito no mangá Mobile Suit Crossbone Gundam e na MS Encyclopedia 2003, em U.C.0133, o manto de revestimento anti raios é utilizado para providenciar restaurações de proteção fáceis contra os ataques com armas de raios. A ideia é simples, o ABC é aplicado em uma peça de revestimento ao invés de diretamente na unit. O manto pode ser descartado uma vez que perde todos os seus ABC (que é a proteção contra armas de raio). No entanto, como a maioria das unidade são equipadas já com escudos anti raios, o manto ABC providencia maior capacidade furtiva se comparar aos brilhante escudos, que acabam deixando as units como um alvo visível.

Compostos Cerâmicos


Adicionados à camada de armadura para aumentar sua durabilidade.

Armadura de Construção Múltipla


Conceito de design desenvolvido no início da UC 120, através do desenvolvimento do Formula 91 Gundam. Nessa abordagem, a variedade de funções são incorporadas às camadas da armadura dos mobile suit. Adicional ao sistema de proteção, a armadura do F91 também incorpora um sistema de cisrcuitos e de resfriamento, permitindo esse mobile suit altamente compacto a ter mais eficiente uso nos limites do espaço interno.

Tecnologia Mobile Suit - Sistemas de Defesa

Campo à prova de calor

Sistema instalado no RX-78 Gundam, que bombeia ar para conter a fricção do calor na entrada da atmosfera. O sistema de resfriamento interno do mobile suit também deve ser utilizado para impedir que o calor entre no campo de ar.

Ballute


Durante os eventos de Mobile Suit Zeta Gundam, quando a AEUG tentava derrubar uma colônia em Jaburo, seus mobile suits utilizavam um sistema de balões chamado ballutes para deixar a descida mais lenta e prevenir o superaquecimento. No entanto, eram vulneráveis a armamentos de fogo, como Kacricon Cooler (e vários outros pilotos da AEUG e Titan) mais tarde acharam difícil de controlar o caminho de onde o ballute era colocado, deixando-o vulnerável; Kamille Bidan tirou vantagem disto e atirou nele. Ele estourou, fazendo com que a Marasai de Kacricon mergulhasse na atmosfera.

Gerador de Campo I


Quando as partículas Minovsky são lançadas no ar ou em espaço aberto, as partículas positivas e negativas espontaneamente se alinham em uma rede cúbica tridimensional. Devido à forças repulsivas e eletrostáticas entre as partículas Minovsky, as funções da rede funcionam como um campo de força, que é referido como Campo I. Esse campo tem dificuldade de permear materiais condutores como metal, água e plasma, e exerce uma força repulsiva contra as mega partículas. O campo I é utilizado para deferir armas de mega partículas inimigas. Devido ao seu requerimento de alto poder, o gerador de Campo I originalmente apenas podia ser instalado em grandes mobile weapons. Quando o gerador é ativado, o Campo I forma uma barreira invisível em torno do mobile weapon, protegendo-o dos ataques de raios que estão por vir. No entanto, essa barreira não possui efeitos contra objetos sólidos como mísseis e projéteis, e armas de raios podem ser utilizadas num ponto de alcance vazio com uma fronteira de barreira.

No entanto, com o passar dos anos, o desenvolvimentos no Gerador de Campo I começaram a guiar por interessantes criações. O primeiro foi a Fin Funnel Barrier utilizada no RX-93 Nu Gundam e seus derivados. A Fin Funnel Barrier é um campo de força especial que é forte o suficiente não apenas para parar armas de raios, como também armamentos físicos e é até capaz de enganar units com eles. Outro é X3 I-field, uma especial, miniatura do Gerador de Campo I, construído nas mãos do XM-X3 Crossbone Gundam X-3 e mais tarde no XM-X1 Crossbone Gundam X-1 Kai Kai "Skull Heart". enquanto o X3 I-field atua como um Campo I normal, ele também pode adicionar o bônus de ser capaz de deixar o Gundam pegar sua espada de raios com as mãos sem destruí-las. No entanto, possui as mesmas fraquezas dos demais Geradores de Campo I, eles tendem a superaquecem e então forçar quedas de temperaturas. Mesmo que a unit use os geradores pouco tempo, ainda cria oportunidades de outros utilizarem.

Sistema de Deflexão de Mega Partículas


Outra versão do Gerador de Campo I, mas permite que o usuário redirecione os ataques de raios porvir e contra tacá-los como alvos.

Escudo de Raios


Um novo dispositivo de proteção utilizado na era U.C. 0120. Graças às melhoras dos geradores, os mobile suits de baixa escala da época era, habilitados a utilizar a tecnologia de raios para propósitos de defesa. Diferente do Gerador de Campo I, que é efetivo apenas contra as armas de raios, esse também protege contra projéteis. O escudo de raios gera um plano de energia similar à lâmina do sabre de raios. Esse plano se divide em múltiplas seções, que podem ser ligadas ou desligadas para conservar energia. As seções individuais são automaticamente desativadas quando há perigo eminente em contato direto com o mobile suit.

Escudo


Uma chapa extra de armadura carregada no braço do mobile suit. Um piloto com habilidades pode utilizar esse dispositivo bruto para se defender dos ataques inimigos, mas nas mãos de um novato é apenas um peso morto, então os desenhistas algumas vezes optam por omitir o escudo e utilizar massa equivalente em outro armamento pesado para o mobile suit.

Física Minovsky


De acordo com  Gundam Century, MS encyclopedia 2003 e Gundam Officials, a Sociedade de Física Minovsky foi formada em U.C.0045 na colônia espacial Side 3. Sua pesquisa era devota ao desenvolvimento do reator de fusão nuclear. Pelo ano U.C.0047, começou o desenvolvimento do reator Minovsky-Ionesco. Esse reator, desenhado por Dr. T.Y. Minovsky nos seus primeiros dias servindo à Federação Terrestre, continua uma peça de caixa preta tecnológica e que rendeu a ele um herege nas comunidades de física clássica (onde clássico na Universal Century inclui os físicos modernos de nosso tempo). Essa é a razão principal por sua rescisão da Federação Terrestre e residindo em Side 3 durante a One Year War. No entanto, vendo o horror do regime militar da família Zabi, Minovsky voltou atrás e ofereceu seus conhecimentos à Federação. No entanto, a Federação aplicou suas invenções de maneira muito diferente.

O reator Minovsky-Ionesco foi nomeado com o nome de seu inventor fictício. Esse reator era mais "radical" devido ao fato de ser o primeiro reator nuclear "limpo", emitindo radiação zero neutra. A equação nuclear era:

(energia lançada: 18.35 MeV)

O reagente utiliza um raro isótopo de hélio conhecido como hélio-3 (2 prótons e 1 neutron no núcelo). Um átomo de hélio-3 se funde com um átomo de deutério (hidrogênio pesado) para formas o estável hélio-4 e um próton sozinho. Desde que o próton é positivamente lançado, ele pode facilmente ser trancado em um campo magnético. O principal problema desta reação é que o hélio-3 é extremamente raro e há poucos depósitos dele na Terra, normalmente encontrado em minas de urânio e estas já se encontram praticamente esgotadas. O mundo de reatores de fusão de Gundam está em constante importação de suprimentos de hélio-3 vindo do planeta Júpiter, fazendo-se necessária a criação da Frota de Energia Júpiter. A FEJ deveria viajar da Terra à Júpiter, que possui um alto nível de hélio-3 em sua atmosfera, e então voltar à com o combustível de gás. É importante citar que na física real, a fusão de hélio-3-deutério produz neutrons produz neutrons, devido às inevitáveis reações deutério-deutério. Ainda, significativas quantidades de hélio-3 foi descoberta na lua, ainda que certamente há muito mais em Júpiter.

A Partícula Minovsky


De acordo com o guia oficial de Mobile Suit Gundam, Gundam Century e Gundam Officials, a Sociedade de Física Minovsky, enquanto trabalhava no reator, encontraram um estranho efeito de onda eletromagnética em U.C.0065 com o reator Minovsky-Ionesco que não poderia ser explicado pela física convencional. Com os anos que passaram, identificaram a causa: uma nova partícula gerada pela reação do hélio-3 no interior da parede do reator, que foi nomeada de partícula Minovsky ou partícula "M". A partícula Minovsky tem massa próxima a zero, no entanto, como qualquer partícula, sua massa aumenta em reflexo ao seu potencial ou energia cinética, e pode carregar tanto carga elétrica negativa quanto positiva. Quando espalhadas no espaço ou no ar, as forças repulsivas entre as cargas das partículas Minovsky espontaneamente alinham em uma estrutura de rede regular chamada Campo-I. A rede Campo-I vai lentamente se expandir e se espalhar pelo espaço, no entanto, depois da densa interferência que leva aproximadamente 29 dias antes que a região possa suportar uma comunicação eletromagnética normal novamente.

O uso principal da partícula Minovsky é para combate e comunicação. Quando a partícula é espalhada em um grande número no ar ou em espaço aberto, elas quebram radiações eletromagnéticas de baixa frequência, como micro-ondas e ondas de raios. A partícula também interfere em operações de circuito eletrônico e destrói circuitos desprotegidos devido à alta carga elétrica que age como um contínuo pulso eletromagnético em objetos metálicos. Por causa da maneira em que elas reagem a outros tipos de radiações, os sistemas de radares e os comunicadores são fracionados e sua precisão diminui, e a luz visível fica embaçada. Isso então ficou conhecido como "Efeito Minovsky".

A interrupção da radiação eletromagnética é devida a pequena rede de Campo-I criando franjas que grandes comprimentos de ondas não conseguem penetrar, e rompem os comprimentos de ondas para que tenham uma distância similar às franjas. O processo de difração e polarização interrompem as ondas eletromagnéticas. Lembrando que na vida real há um experimento similar que pode fazer o mesmo em um milésimo de segundo, porém ainda não é praticável mas prova que a teoria é correta. Um segundo uso para o Campo-I (e para as partículas Minovsky em geral) é a repulsão da carga de plasma e mega partículas sem carga da superfície do Campo-I, que pode ser utilizada tanto para para gerador de energia quanto em tecnologia de armamento. Se controladas, as partículas podem formas franjas de diferentes larguras e fazer interferências adicionais com ondas eletromagnéticas e curtos comprimentos de onda. Isso da o básico para minimizar os reatores de fusão instalados nos mobile suits desde que um controlador de Campo-I possa bloquear as ondas infra-vermelhas. Sem tal campo, um piloto poderia ser queimado vivo em poucos nanossegundos e o suit estourar em gases superquentes, isso explicando várias casualidades da série quando o reator do mobile suit é atingido com uma arma de raios forte o suficiente para dispersão o Campo-I.

O único contra da partícula "M" na série foi instalar o volumoso e caro escudo em todo o equipamento eletrônico, mas apenas para contra-atacar o efeito que ela possui nos circuitos eletrônicos. Enquanto isso pode ser feito para fazer em naves espaciais e navais, isso acaba com as armas de precisão guiadas, como os misseis guiados. Devido a isso, o uso das partículas Minovsky para motivos militares inaugurou uma nova era de combates de perto. Essa é a razão primária para o nascimento da arma de combate corpo a de Zeon: o mobile suit.


Reator de Fusão Minovsky Ultracompacto



De acordo com a linha do tempo deduzida pelo Gundam Officials, em UC 0071, os pesquisadores de Zeon criaram o reator de fusão Minovsky ultracompacto (Em Mobile Suit Gundam Origin, a tecnologia foi criada pelo próprio Professor Trenov Y. Minovsky em U.C. 0074 para o YMS-03 WAFF). Ao invés do campo magnético convencional, essa versão melhorada do reator Minovsky-Ionesco usada no Campo-I para confinar e comprimir o combustível do reator, engatilhando uma reação de fusão. As partículas Minovsky produzidas como um subproduto da reação de fusão do hélio-3 são recicladas para manter a reação acontecendo. As partículas Minovsky que se formas na rede de Campo-I também ajudam a catalizar a reação de fusão, em um processo similar à fusão muon-catalizada investigada no mundo real pelos cientistas da década de 1950. Esse design super eficiente era apenas um quinto da largura equivalente do poderoso reator Minovsky-Ionesco, permitindo o reator ser montado no mobile suit ao invés de em um suporte externo. Por essa razão, foi adotado como planta de energia primária dos mobile suits. Ainda, Minovsky também desenvolveu o sistema de Pulso Fluido, que utiliza as Partículas Minovsky para movimentar o sistema do Mobile Suit, o que permite uma possível atitude de controle. Essa ilimitada fonte de eletricidade fornece a energia necessária para movimentas os sistemas aviônicos e de suporte de vida, assim como os atuadores e controladores de motores das articulações dos MS.

Capacitor de Energia (E-CAP)


Uma mega partícula de canhão como as instaladas nas naves de batalha espaciais com um grande suprimento de energia elétrica, uma parada de fornecimento de energia em forma de partículas Minovsky, e um condensador de energia massiva antes de disparar. No entanto, inicialmente parecia impossível instalar essas armas nos mobile suits. Esses problemas foram endereçados com o desenvolvimento do capacitor de energia, que fazia possível criar armas de raios compactas com necessitando de muito menos poder e energia. O E-CAP armazena partículas Minovsky numa prensa, estado de alta-energia, apenas para fundí-las em mega partículas. A saída de poder do gerador do mobile suit, ainda que muito menor que em uma nave de combate, é o suficiente para completar o processo e formas mega partículas.

Minovsky Craft System


Desde que esteja carregado de partículas, o Campo-I é impenetrável por metal, água e esfera terrestre, ou outro material condutivo e pode simplesmente enganar com seu seu campo eletromagnético. No entanto, em baixas altitudes, é possível gerar um colchão Campo-I entre a parte de baixo de uma embarcação e o chão, produzindo uma flutuação contrária a gravidade. O princípio utilizado para criação do Minovsky craft system, que permite que uma nave espacial ou um veículo pesado de terra "voar"/flutuar na Terra. O Principipado de Zeon foi devagar para fazer uso dele no princípio e apenas as unidades equipadas com o Minovsky craft systems durante a One Year War foram os MAX-03 Adzam e os três protótipos dos mobile armours Apsalus. No entanto, a Federação Terrestre rapidamente adotou o sistema nos cargueiros de assalto modelo Pegasus. Isso permitia o Pegasus-class entrar e sair da atmosfera terrestre e voar enquanto dentro da atmosfera.

Esse sistema não poderia ser miniaturizado para caber em um mobile suit até depois de U.C.0100. O primeiro MS equipado com tal foi o dispositivo RX-104FF Penelope de Hathaway's Flash, que foi incluído no RX-104 Odysseus Gundam combinado com sua unidade de suporte Fixed Flight. O RX-105 Ξ Gundam que aparecia na mesma série também foi equipado com o dispositivo, no entanto, totalmente dentro de sua estrutura.

Eventualmente, o desenho do Minovsky Craft System deveria ser reformulado e melhorar para o Minovsky Drive, o primeiro a ser construído deste tipo é a nave Mother Vanguard da Crossbone Vanguard como um sistema apelidade de "Sail of Light". O Minovsky Drive permite a nave a atingir velocidades inacreditáveis, podendo viajar da Terra até Júpiter em poucas semanas ao invés dos meses que levam as demais naves. Muitos anos mais tarde, depois da destruição da nave, SNRI pegou o Minovsky Drive e melhorá-lo, reduzindo seu tamanho e instalando em três outros mobile suits, o F99 Record Breaker, como as "asas de luz". Ao mesmo tempo a Anaheim Electronics varreu o Minovsky Drive para lembrar a Mother Vanguard e utilizar seu design para criar seu próprio mobile suit com o sistema "asas de luz". A máquina foi apelidada de "Icarus" pela SNRI que observava a máquina cair na atmosfera da Terra, mas foi mais tarde descoberto que o mobile suit utilizou as "asas de luz" como escudo para se proteger durante a reentrada.

Durante a Zanscare War em U.C.0150, os mobile suits desenvolvidos na Terra pelo Império Zanscare usavam rotor de raios (que poderia também ser usado como escudo de raios ou uma serra rotativa) para alcançar voos atmosféricos de longa distância. Ao mesmo tempo, os modelos de alta tecnologia implantados pela Liga Militar como o V Gundam e o V2 Gundam, foram equipados com uma versão melhorada do sistema de voo Minovsky.


Tecnologia Mobile Suit - Sistema Newtype


A palavra Newtype apareceu primeiro quando Zeon Zum Deikun, um personagem fictício, fundados do Principado de Zeon, criando sua filosofia: que o homem é destinado a deixar a Terra para ir ao espaço, onde eles poderiam evoluir a um novo estágio, chamado Newtype. Os Newtypes começaram a crescer em número durante a One Year War, o sistema psycommu (psychic communicator) foi inventado, que permitia que esses Newtypes controlassem armas via wireless, conhecidas como bits e funnels, e até mesmo mobile suits, através apenas do pensamento.

Psycommu System


Durante a One Year War, as pesquisas do Instituto Flanagan descobriu que os Newtypes emitiam poderosas ondas de pensamento, similar às ondas cerebrais comuns, mas não elétricas em natureza, que poderiam ser chamadas de ondas psíquicas. O Instituto Flanagan Institute então desenvolveu uma interface de máquina da mente chamada de sistema psycommu (psycho-communicator), que recebia essas ondas de pensamento e as traduziam em comandos de computador. Usando essa interface, um piloto Newtype pode mover armas remotas e operar grandes e pesados mobile armors, apenas pelo pensamento. As forças do Principado alocadas no asteroide Axis continuaram a miniaturizar o sistema psycommu, para então instalar em mobile suits de tamanho comum como o AMX-004 Qubeley. As Forças Federativas, no entanto, se concentraram em desenvolver artificialmente os chamados cyber-Newtypes para operar suas armas psycommu.

Quasi-Psycommu System


Uma interface de máquina de mente, baseada no psycommu system usado pelos Newtype, que é capaz de ser utilizada até por humanos normais. Além de enviar e receber dados por ondas de pensamentos como em um verdadeiro psycommu system, o quasi-psycommu system continuamente exemplifica as ondas cerebrais elétricas do piloto, permitindo que o piloto comunique instruções específicas quase que instantaneamente. O sistema permite o uso de armas remotas simples, mas mesmo com o suporte do computador, esses dispositivos são capazes apenas de movimento bidimensionais.

Half Control System


Sistema de controle por computador que assume algumas tarefas básicas que o piloto normalmente faz, e permite que ele então foque em outras tarefas. Também permite ao usuário utilizar armas guiadas por arame.

Neo-Psycommu System


Um tipo avançado de sistema psycommu desenvolvido pelo comandante da Crossbone Vanguard, conhecido como Iron Mask, e instalado no mobile armor XMA-01 Rafflesia. Utilizando essa interface de máquina mental, Iron Mask pode operar o Rafflesia apenas via pensamento, sem o uso dos convencionais niveladores, pedais e controles manuais.

EXAM System


Designado como sistema anti-newtype system, o sistema possui a alma presa de uma jovem garota newtype que quer se matar. sempre em conflito com o programa, o sistema vai fazer com que o mobile weapon chegue a um estado de fúria e mate tanto amigos quanto inimigos. Precisa de um forte piloto para utilizá-lo, e mesmo a garota newtype pode se virar contra o piloto. Apenas se alguém se conectar a ela, talvez o sistema mostre sua verdadeira performance.

Psyco-control system


Essa tecnologia permite ao mobile suit ser controlado externamente pelo psycommu system. Desenvolvido pelo Laboratório Newtype Labs da Federação Terrestre, esse sistema foi primeiramente instalado na segunda unidade do MRX-009 Psyco Gundam, e como recurso padrão no MRX-010 Psyco Gundam Mark II. A tecnologia é então mais tarde obtida pelos soldados renegados do Principado de Zeon na base asteroide Axis.

Combat system


Sistema de controle da mente instalado no MRX-009 Psyco Gundam, que obriga o piloto cyber-Newtype a lutar em batalha. O NRX-055 Baund Doc aparenta ser equipado com dispositivo semelhante.

Bio-Sensor


Uma variação do psycommu system, desenvolvido pela Anaheim Electronics e experimentalmente instalado no MSZ-006 Zeta Gundam na tentativa de construir um psycommu system menor e mais barato. Apesar de suas capacidades totais serem desconhecidas, sua proposição primária permite o piloto Newtype em uma interface mais fácil, via comandos mentais para o mobile suit. O bio-sensor possui um efeito colateral surpreendente quando o piloto está mental e emocionalmente focado o suficiente (normalmente em estado de raiva ou desânimo) fazem com que o bio-sensor amplifique seu poder, velocidade e força do mobile suit por um curto período de tempo. O mobile suit customizado de  Paptimus Scirocco, o PMX-003 The O, é também equipado com o mesmo dispositivo do de Judau Ashta, MSZ-010 ZZ Gundam.

Psycoframe


O Psycoframe é uma variação poderosa do psycommu system. Desenvolvido por Char Aznable da Neo-Zeon, o Psycoframe permite que o Mobile Suit seja controlado por um piloto Newtype como se ele fosse uma extensão de seu próprio corpo, permitindo uma tempo de resposta muito melhor. Não querendo deixar seu rival Amuro Ray com uma unit insatisfatória para a batalha final, Char vazou seus planos para a Anaheim e permitiu que fosse utilizado no RX-93 ν Gundam. No entanto, o sistema é tão novo para que os cientistas e a Anaheim perceberam um estranho fenômeno, mostrando que o Psycoframe na verdade poderia ser muito mais poderoso. Isso foi mostrado quando Amuro, emocionalmente atingido por causa de sua luta com Char, sobrecarregou o Nu Gundam, causando uma explosão de luz, ainda utilizando aquele poder para amarrar uma peça da Axis que estava caindo para outra metade e colocando fora do caminho da Terra. Esse sistema foi utilizado mais tarde pelo RX-0 Unicorn Gundam.

Newtype-Destroyer (NT-D) System


O Newtype Destroyer (ou NT-D) System é um sistema anti-Newtype desenvolvido pela Federação Terrestre e utilizado no RX-0 Unicorn Gundam. O sistema trabalha utilizando a construção do Psycoframe com seu corpo para procurar por ondas cerebrais Newtype.Quando encontra um, o NT-D System ativa e coloca o Unicorn Gundam em "modo Destruição", melhorando seu status e permitindo que tome controle do armamento Newtype utilizando contra o piloto. No entanto, o sistema apresenta diversas falhas. Tem cinco minutos de uso, e acaba não matando seu piloto e o fato é que ele não distingue um verdadeiro Newtypes de um Cyber-Newtypes. O mais irônico é que, por conta do estresse massivo que o piloto sofre, um Newtype é o melhor tipo para pilotar essa unidade. Felizmente, esses fortes desejos podem sobrecarregar o sistema e determinar quando será ativado.

Bio-Computer


Um novo tipo de interface homem-máquina que permite que as máquinas sejam controladas pelos pensamentos humanos. Com funcionalidade similar ao psycommu system, o bio-computer coloca menos tensão no seu operador humano. O bio-computer foi originalmente utilizado para ajudar os deficientes, mas o seu desenvolvimento foi financiado em última instância pelas Forças Federativas, que espera empregar no controle de sistema de mobile suit e instalar no F91 Gundam para fins experimentais. Como o nome implica, o bio-computer é similar em estrutura ao cérebro humano, e seus processos operacionais lembram os sentimentos e pensamentos humanos. Mais que apenas mostrar dados no monitor do computador, o bio-computer pode retransmitir isso diretamente ao piloto em forma de informação sensorial, então o que a máquina "sente" também pode ser experenciado pelo operador humano. No entanto, o potencial total em latência do sistema apenas pode ser batido por um piloto Newtype.

Biotecnologia

Clonagem Humana


Alguns indivíduos na Universal Century foram produzidos artificialmente, geneticamente idênticas (ou praticamente idênticas) cópias de outros. Elpeo Ple tem pelo menos onze clones, como Ple Two e Marida Cruz, e Char Aznable serviu de base para o Full Frontal, que foi geneticamente modificado e lembra Char ao invés de nascer com genoma idêntico. Em ambos casos, parece haver receptividade às ondas de pensamento Newtype do original, particularmente depois da morte de seus originais.

Bio Brain


Método de preservar a personalidade e memórias do indivíduo, desenvolvido pelo Império Júpiter Empire. O bio brain é uma massa artificial de matéria cerebral coletada em cilindros de vidro, agindo como um computador biológico que pode fazer uma cópia de suas personalidades e memórias, sem deletar as que estar no cérebro original. Ainda, é possível fazer um número ilimitado de cópias da mente do indivíduo, permitindo uma imortalidade de desejo, ainda que não consciente. Dois líderes do Império Júpiter Empire, Crux Dogatie e a Sombra de Callisto, fizeram upload de suas mentes em bio brains, permitindo que eles pudessem continuar a lutar e pilotar Mobile Suits mesmo depois da morte de seus corpos físicos. Outro bio brain possui dados de batalha do RX-78-2 Gundam, que permite que o piloto Amakusa lute com as habilidades de Amuro. Esse bio brain desenvolve habilidades de de Newtype devido aos dados de combate, assim como alguns aspectos da personalidade de Amuro. No entanto, esse não pode ser considerado um clone cerebral completo de Amuro, como são os bio brains de Dogatie e da Sombra de Callisto Shadow.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Total de visualizações